CNN Brasil

A Rússia está “transformando alimentos em armas” e “prejudicando os mais vulneráveis”, disse o presidente do Conselho da União Europeia (UE), Charles Michel, nesta sexta-feira (8).

“A Rússia deve permitir que navios com os grãos tão necessários naveguem no Mar Negro. A UE está fornecendo rotas alternativas de exportação através das nossas Rotas de Solidariedade”, destacou Michel em uma publicação no X, anteriormente conhecido como Twitter.

Veja também — Míssil russo deixa ao menos 17 mortos em Donetsk

Seus comentários foram feitos em uma conferência de imprensa realizada na capital indiana, Nova Deli, nesta sexta-feira, antes da reunião do G20 que terá lugar neste fim de semana.

Michel descreveu o encerramento da Iniciativa de Cereais do Mar Negro pela Rússia, em julho, como “escandaloso”.

“Mais de 250 milhões de pessoas enfrentam uma insegurança alimentar aguda em todo o mundo e, ao atacar deliberadamente os portos da Ucrânia, o Kremlin priva-as dos alimentos de que necessitam desesperadamente”, afirmou.

“É francamente escandaloso que a Rússia, depois de ter encerrado a Iniciativa Cereal do Mar Negro, esteja bloqueando e a atacando portos marítimos ucranianos. Isto tem de parar”, adicionou.

Michel também classificou a oferta do Kremlin de entregar 1 milhão de toneladas métricas de grãos à África de “absolutamente cínica” em comparação com os 32 milhões de toneladas métricas de grãos entregues aos mercados internacionais liderados pelas Nações Unidas.

Acrescentou ainda que a UE está intensificando os esforços para fornecer rotas alternativas de exportação e já entregou 41 milhões de toneladas métricas de cereais.