Pacientes se recuperam melhor quando são operados por mulheres, diz estudo

Um grande estudo publicado pela revista científica JAMA Surgery chegou a uma conclusão inusitada: pacientes operados por uma cirurgiã mulher têm mais sucesso no resultado do procedimento e na recuperação do que aqueles operados por homens.

A equipe que conduziu a pesquisa analisou os dados de um milhão de pacientes submetidos a cirurgias no Canadá. A amostra envolveu a janela temporal compreendida entre 1º de janeiro de 2007 e 31 de dezembro de 2019. Os pesquisadores acompanharam pacientes que passaram por cirurgias eletivas ou de emergência, observando todos os eventos pós-operatórios diversos que poderiam acontecer com eles em um prazo entre 90 dias e um ano após o procedimento.

O que o estudo descobriu

Em seguida, a pesquisa comparou os resultados a partir do sexo dos profissionais que fizeram a cirurgia. O que se verificou é que as cirurgias feitas por médicos do sexo masculino tiveram os piores resultados.

“Depois de considerar as características do paciente, do procedimento, do cirurgião, do anestesista e do hospital, os resultados sugerem que os pacientes tratados por cirurgiãs mulheres têm taxas mais baixas de resultados pós-operatórios adversos, incluindo morte aos 90 dias e 1 ano após a cirurgia, em comparação com aqueles tratados por cirurgiões do sexo masculino”, afirma a equipe em seu estudo.

Contudo, os pesquisadores afirmam que ainda é necessário analisar demais aspectos para entender por que isso acontece. Mas, segundo afirmam no estudo, os resultados são ainda mais discrepantes entre médicos homens e mulheres quando se considera como os pacientes ficaram um ano após a cirurgia.

Por que isso acontece?

(Fonte: GettyImages)(Fonte: GettyImages)

Ainda não se sabe ao certo por que cirurgiões mulheres tendem a ter pacientes que se saem melhor após sua cirurgia. Há vários fatores que podem interferir, como a complexidade dos casos. Mas o estudo já sugere possíveis explicações ao fenômeno.

Em uma pesquisa prévia, publicada em 2017, os mesmos cientistas escreveram: “mulheres e homens praticam a medicina de forma diferente, embora existam poucas pesquisas sobre as diferenças nos estilos de aprendizagem, aquisição de habilidades ou resultados para cirurgiões femininos e masculinos. Não sabemos o mecanismo isso está subjacente a melhores resultados para pacientes tratados por cirurgiãs, embora possa estar relacionado à prestação de cuidados que são mais congruentes com as diretrizes, mais centrados no paciente e envolvem comunicação superior”.

Aliás, há outros estudos que investigaram temas próximos. Em um deles, constatou-se que as pacientes do sexo feminino costumam se recuperar melhor quando são tratadas por uma médica, o que é um dado curioso, além de surpreendente, uma vez que há mais homens na medicina do que mulheres.

Por fim, o estudo afirma que pesquisas desse tipo podem ter um importante papel na valorização dessas profissionais. “Apesar destes dados, as mulheres continuam a ser marginalizadas no local de trabalho de muitas maneiras. Para fornecer o melhor atendimento ao paciente, as organizações deveriam apoiar as médicas e aprender como elas conseguem esses melhores resultados”, concluem os estudiosos.