o que são os blocos temáticos da prova única?

O Concurso Nacional Unificado é um dos assuntos mais falados no momento entre os concurseiros e, por ser uma grande inovação, anda gerando muitas dúvidas. Uma das principais é em relação a como será feita a avaliação, considerando que muitos órgãos federais podem estar envolvidos. O que já se sabe é que a inscrição e a prova do Concurso Nacional Unificado terão uma divisão feita em oito blocos temáticos.

Essa foi a forma com que o Ministério de Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), responsável pela novidade, encontrou de organizar os possíveis órgãos a aderir à seleção. Veja na matéria abaixo como vai funcionar a prova única, o que são e quais são os blocos temáticos, além de outros detalhes envolvendo o certame.

Concurso Nacional Unificado vai ter aplicação de prova única

Talvez você esteja se perguntando: se haverá uma prova única, como ela vai ser dividia em blocos temáticos? Antes de responder essa pergunta, vamos entender de onde surgiu essa ideia e como será feita a avaliação. Para o Concurso Nacional Unificado, o MGI se inspirou no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Veja bem, a prova de vestibular do Enem é uma só para todos os estudantes do país, sendo aplicada em milhares de municípios, democratizando o acesso às Universidades Públicas. Já o Concurso Nacional Unificado também contará com uma prova única realizada em diferentes cidades visando ampliar as oportunidades de emprego no funcionalismo para mais pessoas.

A pasta responsável pela seleção tirou algumas dúvidas dos candidatos sobre o “Enem dos empregos”. Algumas delas foram sobre a prova única que acontecerá da seguinte maneira:

  • Dividida em duas etapas, sendo a primeira geral para todos os candidatos e a segunda com questões específicas de acordo com o bloco temático escolhido;
  • As etapas serão realizadas em turnos diferentes no mesmo dia;
  • A aplicação acontecerá em 179 municípios brasileiros;
  • O cronograma do MGI prevê a realização no dia 25 de fevereiro de 2024.

A maioria dos órgãos convidados a participar do Concurso Nacional Unificado ainda está avaliando a proposta.

O que são os blocos temáticos do Concurso Nacional Unificado?

O secretário de Gestão de Pessoas do MGI, José Celso, explicou que apesar de ser uma única seleção, haverá uma segmentação de editais. Os documentos serão divididos entre os oito blocos temáticos do Concurso Nacional Unificado, trazendo especificidades de cada área de atuação.

Desse modo, cada um dos blocos contemplará um grupo de órgãos que vão ofertar vagas para setores similares. A partir disso, comissões organizadoras de cada órgão poderão participar da criação das questões específicas. Com isso, os candidatos poderão focar na área desejada, sem ter que estudar conteúdos desnecessários.

Os oito blocos temáticos do Concurso Nacional Unificado previstos são:

  • Bloco 1 – Administração e Finanças Públicas: 580 vagas;
  • Bloco 2 – Agências Reguladoras e Infraestrutura: 985 vagas;
  • Bloco 3 – Agricultura e Meio Ambiente: 298 vagas;
  • Bloco 4 – Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação: 1.194 vagas;
  • Bloco 5 – Políticas Sociais, Justiça e Saúde: 1.470 vagas;
  • Bloco 6 – Trabalho e Previdência: 940 vagas;
  • Bloco 7 – Dados, Tecnologia e Informação: 894 vagas;
  • Bloco 8 – Nível médio: 692 vagas.

Confira abaixo detalhes de cada um deles, com os respectivos cargos ofertados.

Bloco 1: Administração e Finanças Públicas

As oportunidades são voltadas para profissionais de nível superior que irão trabalhar junto à Administração Pública e aos Setores Econômicos do Poder Executivo Federal. Os órgãos que devem participar dentro desse bloco temático do Concurso Nacional Unificado são:

  • Ministério de Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI): 150 vagas para Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental;
  • Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA): 80 vagas para Técnico de Planejamento e Pesquisa;
  • Ministério da Fazenda (MF): 40 vagas para Auditor Federal de Finanças e Controle;
  • Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO): 100 vagas para Analista de Planejamento e Orçamento;
  • Banco Central do Brasil (BCB): 100 vagas para Analista;
  • Comissão de Valores Imobiliários (CVM): 60 vagas para Analista e Inspetor; e
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC): 50 vagas para Analista do Comércio.

Bloco 2: Agências Reguladoras e Infraestrutura

O Concurso Nacional Unificado terá um bloco específico para Agências Reguladoras, órgãos que trabalham com infraestrutura e outras entidades dentro do setor Econômico. Todas as oportunidades requerem nível superior:

  • Inmetro: 100 vagas para Analista Executivo em Meteorologia e Qualidade e para Pesquisador-Tecnologista em Meteorologia e Qualidade;
  • INPI: 120 vagas para Analistas, Pesquisadores e Técnicos em Propriedade Industrial;
  • ANTAQ: 30 vagas para Especialista em Regulação de Serviços de Transportes Aquaviários;
  • ANTT: 50 vagas para Especialista em Regulação de Transportes Terrestres;
  • ANAC: 70 vagas para Especialista em Regulação de Aviação Civil;
  • Anatel: 50 vagas para Especialista em Regulação de Serviços Públicos de Telecomunicações;
  • Aeel: 40 vagas para Especialista em Regulação de Serviços Públicos de Energia;
  • ANA: 40 vagas para Especialista em Regulação de Recursos Hídricos e Saneamento Básico;
  • Avisa: 50 vagas para Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária;
  • ANS: 35 vagas para Especialista em Regulação de Saúde Suplementar;
  • MGI: 300 vagas para Analista de Infraestrutura;
  • DNIT: 100 vagas para Analista Administrativo e Analista em Infraestrutura de Transportes.

O Ministério de Minas e Energia (MME) também estaria incluído nesse grupo com 30 vagas, no entanto, já lançou seu próprio edital.

Bloco 3: Agricultura e Meio Ambiente

Como o próprio nome já diz, as oportunidades são voltadas para setores que lidam com a Agricultura e o Meio Ambiente. Confira as vagas para nível superior:

  • MAPA: 200 vagas para Auditor-Fiscal Federal Agropecuário;
  • MMA: 98 vagas para Analista Ambiental.

O Incra também deveria estar incluído nesse bloco temático do Concurso Nacional Unificado, mas já confirmou ao Concursos no Brasil que não pretende participar. Inclusive, o órgão já está finalizando o processo de contratação de banca organizadora para o seu próprio certame.

Bloco 4: Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação

As pastas que trabalham na área de Ciência do Poder Executivo estão contempladas neste bloco, com oportunidades para nível superior. Veja:

  • Inmet: 80 vagas para Analista em Ciência e Tecnologia e para Tecnologista;
  • Censipam: 50 vagas para Analista em Ciência e Tecnologia;
  • MCTI: 814 vagas para Analista em Ciência e Tecnologia, Pesquisador e Tecnologista;
  • CNPQ: 50 vagas para Analista em Ciência e Tecnologia;
  • FNDE: 100 vagas para Especialista em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais;
  • Inep: 50 vagas para Pesquisador-Tecnologista em Informações e Avaliações Educacionais; e
  • Capes: 50 vagas para Analista em Ciência e Tecnologia.

Bloco 5: Políticas Sociais, Justiça e Saúde

O Concurso Nacional Unificado terá um bloco temático todo voltado para cargos de nível superior que trabalham na área de Políticas Sociais, Justiça e Saúde. Conheça as oportunidades:

  • MGI: 500 vagas para Analista Técnico em Políticas Sociais (ATPS);
  • Funai: 350 vagas para Indigenista Especializado e para cargos do PGPE;
  • Fiocruz: 300 vagas para Analista de Gestão em Saúde, Pesquisador em Saúde Pública e Tecnologista em Saúde Pública;
  • Ministério da Saúde: 220 vagas para Tecnologista; e
  • Ministério da Justiça: 100 vagas para Analista Técnico Administrativo.

Bloco 6: Trabalho e Previdência

A área de Trabalho e Previdência formará um bloco próprio para profissionais de nível superior que irão trabalhar nos seguintes órgãos:

  • MTE (AFT): 900 vagas para Auditor-Fiscal do Trabalho (AFT); e
  • Previc: 40 vagas para Analista Administrativo e para Especialista em Previdência Complementar.

Bloco 7: Dados, Tecnologia e Informação

Concurseiros que têm graduação de nível superior na área de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação e afins poderão se aplicar para cargos de:

  • IBGE: 595 vagas para Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura, para Tecnologista em Informações e para Pesquisador em Informações (todos na área de Geografia e Estatística);
  • MGI: 300 vagas para Analista em Tecnologia da Informação (ATI).

Bloco 8: Nível médio

O último bloco temático do Concurso Nacional Unificado será voltado exclusivamente para candidatos que tenham nível médio completo ou ensino técnico. Esses poderão se candidatar aos seguintes órgãos:

  • IBGE: 300 vagas para Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas;
  • MAPA: 240 vagas para Agente de Atividades Agropecuárias, Agente de Inspeção Sanitária e Técnico de Laboratório; e
  • Funai: 152 vagas para Agente em Indigenismo.