O mundo tem 5 oceanos, não 4 – conheça a mais nova adição

Se você tem contado oceanos nos dedos, é hora de abrir a mão e estender o polegar. Sim, agora temos cinco oceanos, não quatro, como você pode ter aprendido na escola. Em 2021, o Oceano Antártico, também chamado de Oceano Austral, foi reconhecido oficialmente como oceano, encerrando assim um debate que vinha girando como um redemoinho por décadas.

Tradicionalmente, nossos oceanos—Atlântico, Pacífico, Índico e Ártico—são definidos pelos continentes que delimitam. O Oceano Antártico, no entanto, dança ao som de uma música diferente. Ele é definido não por terra, mas por uma poderosa corrente conhecida como Corrente Circumpolar Antártica (CCA). Essa corrente, que flui de leste a oeste ao redor da Antártida, cria um ambiente marinho único, mais frio e menos salgado que seus vizinhos do norte. A CCA é como uma corda de veludo em uma boate, separando o Oceano Antártico da ralé dos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico.

O Oceano Antártico esteve em um tipo de limbo nomenclatural por anos. O Conselho de Nomes Geográficos dos EUA deu-lhe um aceno em 1999, mas a Organização Hidrográfica Internacional (OHI) ainda tem que finalizar suas fronteiras. A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) só se juntou ao fã-clube do Oceano Antártico em fevereiro de 2021. Agora, a decisão da National Geographic Society de reconhecê-lo é uma partida significativa de sua adesão usual aos padrões da OHI. Alex Tait, um geógrafo da instituição, observou que, embora os cientistas já reconhecessem há muito tempo o Oceano Antártico, a falta de acordo internacional o mantinha sem reconhecimento oficial.

Então, por que isso importa? Bem, o reconhecimento é mais do que apenas um nome em um mapa; é um chamado para a conscientização e conservação. O Oceano Antártico é ecologicamente distinto e tem estado sob ameaça da pesca industrial por anos. Reconhecê-lo como uma entidade separada eleva seu status e, esperamos, irá galvanizar esforços de conservação para proteger seu ecossistema único.

Mas não vamos estourar as rolhas de champanhe ainda. O Oceano Antártico enfrenta um futuro incerto, graças ao espectro iminente das mudanças climáticas. A Antártida está esquentando e suas calotas de gelo estão derretendo. O que isso significa para o nosso mais novo oceano ainda é incerto. Ele manterá suas características únicas ou se tornará apenas mais uma vítima de um planeta em aquecimento?

Em um mundo onde a mudança é a única constante, o reconhecimento do Oceano Antártico serve como um lembrete pungente da fluidez do nosso entendimento da Terra. É um estímulo para revisitar o que pensamos que sabemos, questionar as normas estabelecidas e adaptar nossas perspectivas de acordo.