Menina prodígio é aprovada em concurso aos 13 anos de idade

Moradora de Porto Nacional, em Tocantins, a menina prodígio Kathleen Ruhama foi aprovada em um concurso público no seu estado. Aos 13 anos, Kathleen é estudante do 8º ano no Colégio Militar Custódia da Silva Pedreira. De acordo com a jovem, a principal inspiração foi o seu pai, Leonel Marcos Ferreira das Neves, que desde os 18 anos presta concursos públicos.

Em entrevista aos jornais locais e nacionais, ela contou que sempre observou o pai estudando dia e noite. Por conta disso, resolveu fazer o concurso e acabou sendo aprovada para o cargo de Agente de Conservação Urbana e Predial da Prefeitura de Dueré. Saiba mais informações a seguir:

Como a menina prodígio foi aprovada em concurso com 13 anos de idade?

Kathleen revelou que sempre gostou muito de estudar e aprender, mas o que colaborou com a aprovação foi o exemplo do pai e a dedicação com os concursos e provas que faz. A ideia de inscrevê-la no concurso partiu de Leonel, que convenceu a filha em fazer as provas de concurso para ir ganhando experiência.

Depois dessa conquista, a jovem tocantinense não cogita parar e quer ir ainda mais longe. Entre os seus sonhos, está o de concluir os estudos e ser Policial um dia, o que é possível por meio da prestação de concurso público para as instituições civis, militares ou federais.

Apesar da aprovação para o cargo de Agente de Conservação Urbana e Predial da Prefeitura de Dueré, Kathleen não pode exercer o cargo por ser menor de idade, como previsto na legislação. Contudo, essa é a segunda prova de concurso que ela faz, pois na primeira tentativa não foi aprovada.

Mesmo assim, a reprovação foi estímulo para que ela continuasse tentando até conquistar uma aprovação. Em entrevistas, ela relatou que nunca imaginou uma adolescente da sua idade fazendo concursos, mas ficou interessada em testar os seus conhecimentos.

Para alcançar o resultado, Kathleen Ruhama contou que teve que se esforçar e dedicar muito com a ajuda do seu pai. Durante a preparação, os dois estudavam juntos ao longo de todos os períodos do dia. Depois dessa experiência, a jovem revelou que sonha em seguir carreira pública, como policial, delegada ou profissional na área de segurança e jurídica.

Kathleen já está inscrita em outro concurso, e aproveita para lembrar o pai de inscrevê-la em mais provas sempre que possível. De acordo com o pai, Leonel Marcos Ferreira das Neves, essa dedicação é motivo de orgulho para a família. O incentivo dos estudos partiu dele, professor da rede municipal de Porto Nacional que já foi aprovado em diversos concursos.

Adolescentes podem se inscrever em concursos públicos?

Antes de tudo, é preciso entender que a Constituição Federal prevê a proibição do trabalho para menores de idade no artigo 7º, que também trata sobre os direitos dos trabalhadores urbanos e rurais. Sendo assim, o limite mínimo de idade para trabalhar em órgãos públicos é de 14 anos, mas somente na posição de jovem aprendiz.

Portanto, para ser um servidor efetivo e concursado é necessário ter, no mínimo 18 anos de idade. No geral, a maioria das contratações públicas segue o Estatuto dos Servidores Públicos. Para o regime celetista, o trabalho integral é permitido também a partir dos 18 anos.

Contudo, não há uma previsão legal que proíba expressamente que os menores de idade prestem concurso público. Ou seja, os adolescentes podem comparecer e realizar as provas, mas não poderão ser nomeados ao cargo por conta da idade.