aprenda a forma certa de escrever e não erre mais

A grafia do termo Xará em Língua Portuguesa gera confusões até mesmo com as palavras inventadas ou de caráter informal, como é o caso de xará ou chará. Utilizado como sinônimo de homônimo, esse vocábulo é usado para designar pessoas que dividem o nome próprio em um mesmo grupo social, em vez de repetir os nomes e criar confusão nas interações.

Sendo assim, xará ou chará pode ser usado como um vocativo, a depender do contexto. Ou seja, é uma maneira de cumprimentar a pessoa que possui o mesmo nome que você, com equivalência a dizer amigo, companheiro, parceiro ou camarada dentro das gírias brasileiras. Saiba mais informações a seguir e descubra como escrever corretamente de uma vez por todas:

Qual a forma certa de escrever: xará ou chará?

De acordo com as normas da Língua Portuguesa, a maneira correta de escrever é xará, pois a utilização com -ch em chará está incorreta. Assim, a palavra com -ch não existe e não pode ser usada em nenhum outro contexto, apesar da proximidade na sonoridade das palavras. Curiosamente, esse termo tem origem no tupi guarani, com a palavra xa’ra.

Como derivado de xe ra, essa palavra originalmente significa “aquele que tem o meu nome”, assim como é utilizado na Língua Portuguesa para designar pessoas com nomes iguais. De todo modo, deve ser escrito com X em todas as circunstâncias, assim como acontece com outras palavras derivadas de línguas indígenas, como xavante, abacaxi e capixaba.

Na Língua Portuguesa, a palavra xará está classificada como um substantivo comum que possui dois gêneros, mas não passa por flexão quando usado no gênero feminino ou masculino. Portanto, sempre se diz “ela é minha xará” e “ele é meu xará”.

No Sul do Brasil, o termo tocaio é sinônimo de xará, o que também acontece em algumas regiões de Portugal. Na Língua Espanhola, se utiliza tocayo com o mesmo significado de xará em português.