4 obras de artes famosas que ainda estão desaparecidas

Muitas vezes, quando uma obra de arte é furtada, o fato chama tanta atenção que ela acaba se tornando mundialmente famosa. Foi o que aconteceu com a Mona Lisa, de Leonardo da Vinci: a tela foi roubada por um funcionário do Louvre em 1911 e recuperada dois anos depois, tornando ela a obra ainda mais importante na história da arte.

Mas saiba que há outras obras importantes que não apenas foram furtadas, mas continuam desaparecidas até hoje. Neste texto, compartilhamos a história de quatro delas.

1. Tempestade no mar da Galileia, de Rembrandt

Leitur: Tempestade no Mar da Galileia(Fonte: Wikimedia Commons)

Em 1990, Tempestade no mar da Galileia, tida como a obra-prima de Rembrandt, foi roubada do Museu Isabella Stewart Gardner, em Boston, em um dos maiores roubos da história da arte. Na época, duas pessoas se passaram por policiais para entrar no museu, imobilizaram toda a equipe de segurança e fugiram levando 13 obras.

O FBI ofereceu US$ 5 milhões para quem ajudasse a recuperar as peças, mas o quadro de Rembrandt, que foi pintado em 1633, segue desaparecido até hoje. Uma das teorias sugere que haveria mafiosos locais por trás do assalto, e que eles queriam vender as obras de arte no mercado negro.

Leia também: Os 5 tesouros mais valiosos do mundo que seguem desaparecidos

2. Flores de papoula, de Vincent Van Gogh

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Flores de Papoula, de Vincent Van Gogh, é o caso de um quadro famoso que já foi roubado mais de uma vez. A obra foi criada em 1887 e levada para o Museu Mohamed Khalil, no Cairo, depois da morte do artista.

A primeira vez que o quadro foi roubado foi em 1977, quando houve uma transferência da obra de um palácio para outro, mas ele acabou sendo recuperado em seguida no Kuwait. Mais tarde, em 2010, ladrões conseguiram cortar a obra da moldura em plena luz do dia, o que expôs os problemas de segurança no museu: a maioria das câmeras estava desligada e os alarmes não funcionavam.

Flores de Papoula segue desaparecido até hoje e tem seu valor estimado em US$ 50 milhões.

3. Natividade com São Francisco e São Lourenço, de Caravaggio

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

O belíssimo quadro Natividade com São Francisco e São Lourenço, do mestre barroco italiano Caravaggio, foi pintado em 1609 e encantou o mundo ao mostrar um Jesus Cristo bebê com a presença de um boi que zela por ele. Acima deles, um anjo desce com uma faixa em que se lê “Glória”.

A obra foi roubada do Oratório de São Lourenço em Palermo, Sicília, em 1969. Desde então, nunca foi encontrado. Com avaliação em US$ 20 milhões, o roubo do quadro de Caravaggio foi considerado pelo FBI como um dos principais crimes artísticos de todos os tempos. Há quem acredite que a obra siga escondida na Sicília, sendo usada como garantia de negócios envolvendo tráfico de drogas.

4. Francis Bacon, de Lucian Freud

(Fonte: Encarta Encyclopedia/Art Resource, NY/Tate Gallery/Flickr/Reprodução)(Fonte: Encarta Encyclopedia/Art Resource, NY/Tate Gallery/Flickr/Reprodução)

Os renomados pintores Francis Bacon e Lucian Freud mantiveram uma amizade durante 25 anos, iniciada na década de 1940. Ambos viveram intensamente a cena artística e boêmia de Londres e eram conhecidos por examinar e criticar a obra um do outro.

Em 1952, Lucian Freud pintou um retrato de Francis Bacon em uma pequena tela de cobre. Em 1988, o quadro foi exposto na Neue Nationalgalerie, em Berlim. O próprio Freud se envolveu em uma intensa campanha para recuperá-lo, incluindo a elaboração de um cartaz de “Procurado” que foi espalhado em Berlim. Infelizmente, a importante obra permanece desaparecida até hoje.